Características da Redação da FCC

Características da Redação da FCC

Pense numa das bancas cuja prova de redação é muito temida… Pensou? Eis nome dela: Fundação Carlos Chagas ou simplesmente FCC. Muitos alunos já me pediram para escrever sobre o perfil da redação dessa banca. Por isso, atendendo a esses pedidos, eu resolvi escrever este artigo sobre as características da redação da FCC.

Primeiramente, convém lembrar que a FCC costuma trazer orientações sobre a redação nos editais dos concursos que organiza. Essas orientações variam muito pouco de concurso para concurso, o que nos permite enxergar um padrão: o estilo de redação FCC.

Dessa forma, é possível reconhecer as seguintes características da redação da FCC: orientações sobre o conteúdo, orientações sobre a estrutura, orientações sobre a expressão e situações que levam à nota zero.

Outro ponto importante é o formato da prova, isto é, a maneira como a prova discursiva é apresentada. De modo geral, a FCC pede uma redação dissertativa em suas provas, mas é possível encontrar situações que envolvem estudo de caso, parecer técnico ou questões discursivas solicitando textos meramente expositivos.

 Orientações sobre Conteúdo

No quesito conteúdo, as características da redação da FCC que são exigidas do candidato são as seguintes: a) fundamentação e adequação dos argumentos ao tema proposto; b) capacidade de análise e senso crítico; e c) clareza e coerência na seleção dos argumentos em defesa de ponto de vista relacionado ao tema. Vamos entender cada um desses conceitos separadamente?

a) Fundamentação e adequação dos argumentos ao tema proposto

Deve-se entender por argumentação a capacidade de apresentar dados comprobatórios, citações de autoridades renomadas, elaborar raciocínios com base na lógica, valer-se do senso comum e da própria competência linguística para defender um posicionamento frente a um determinado tema ou assunto.

Quando é solicitado que um candidato escreva uma redação dissertativo-argumentativa, espera-se que o candidato seja capaz de apresentar ponto(s) de vista fundamentado(s) em argumentos. Assim, entendemos por fundamentação do ponto de vista exatamente a argumentação elaborada e apresentada em defesa desse ponto. Assim, um texto dissertativo bem fundamentado é um texto que traz uma boa argumentação.

Agora, a qualidade dos argumentos é mensurada a partir de quatro pontos indissociáveis: fidedignidade, suficiência, pertinência e adequação. Portanto, ao falar em adequação dos argumentos, a banca evoca as demais qualidades características de um argumento. Vamos compreender cada uma a partir de agora.

Entende-se por fidedignidade a correlação entre o argumento apresentado e a realidade factual. Já a suficiência diz respeito à capacidade que o argumento tem de sustentar o ponto de vista, isto é, se o argumento precisa se apoiar em muitos ou poucos exemplos e ilustrações. Quanto à pertinência, esta é a qualidade que mensura o quanto a informação apresentada como argumento está circunscrita ao campo das informações relacionadas ao tema proposto.

Por fim, a fundamentação da argumentação ainda conta com a capacidade que o candidato tem de apresentar dados comprobatórios, exemplos, o quanto ele é capaz de ilustrar todo o que declara em seu projeto de texto dissertativo. Para aprofundar a sua visão sobre argumentação e tipos de argumento, sugiro que assista à minha aula sobre o assunto no meu canal.

b) Capacidade de análise e senso crítico

Agora, a banca avalia o nível intelectual do candidato, pois, de acordo com a Taxonomia de Bloom, tanto a capacidade de analisar, quanto a de ser crítico, constituem níveis ou subáreas do domínio cognitivo.

Desse modo, a capacidade de análise se manifesta quando as diferentes partes que compõem um todo são analisadas minuciosamente. Assim, ao propor um tema, como “Democratização do acesso ao patrimônio cultural na contemporaneidade” (FCC – Professor Adjunto II – Artes – Prefeitura de Campinas-SP – 2026), é fundamental conhecer o conceito de democracia, de patrimônio cultural e de contemporaneidade, para poder selecionar informações, compará-las, organizá-las, relacioná-las e interpretá-las.

Já o senso crítico é posicionamento coerente estabelecido pelo conhecimento, pela inteligência e pela liberdade. Ele é demonstrado no posicionamento que o candidato apresenta diante dos fatos que compõem o problema trazido à tona pelo tema proposto.

c) Clareza e coerência na seleção dos argumentos

Outro aspecto avaliado é a clareza e coerência na seleção dos argumentos em defesa de ponto de vista relacionado ao tema.

Entende-se a clareza como uma das qualidades de um texto, ao lado da concisão, da correção e da elegância. Ser claro é ser inteligível, isto é, é fazer-se compreender. É permitir que, à proporção que o texto vá evoluindo, a mensagem que você quer passar se torna cada vez mais transparente e objetiva para o leitor, nesse caso a banca FCC.

Além da clareza, a coerência é apreciada pela banda nesse momento também. Entenda que coerência é, na verdade, sentido, lógica. Por isso, quando as informações selecionadas para compor o texto são analisadas pela banca, verifica-se se elas promovem a continuidade da ideia global do texto, se elas se relacionam, se permitem a progressão argumentativa, se não se contradizem, e, por fim, se são condizentes com a realidade na qual o tema está inserido.

Orientações sobre a Estrutura

Aqui está outra das características da redação da FCC: a estrutura. Nesse quesito, a Fundação Carlos Chagas avalia sempre 3 aspectos: a) o respeito ao gênero solicitado; b) a progressão textual e encadeamento das ideias; e c) a articulação de frases e parágrafos (coesão textual).

a) Respeito ao gênero solicitado

Para analisar esse aspecto, vale lembrar que a FCC trabalha as suas provas discursivas em cima de estudos de caso, peças jurídicas, questões expositivas e redação dissertativa. No entanto, este artigo que apresento a vocês tem enfoque apenas nesta última modalidade textual. Ok?! Sendo assim, vamos observar apenas o texto dissertativo.

Aqui a banca vai avaliar se o candidato é capaz de expressar seu posicionamento sobre um determinado tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. E o que se espera do candidato de quem é exigida uma redação dissertativo-argumentativa?

Nesse contexto, espera-se que o candidato tenha capacidade de organizar ideias (coesão), apresente conteúdo para discussão (cultura geral), através de uma linguagem impessoal, clara, objetiva, com vocabulário adequado e diversificado e, sobretudo, discuta o tema apresentando pontos de vistas fundamentados na argumentação (discussão).

Espera-se, ainda, que toda essa abordagem se dê por meio de uma proposição (introdução), de um desenvolvimento e de uma conclusão, adequadamente inter-relacionados. Nesse ponto, vale ressaltar que o número de parágrafos do desenvolvimento é determinado pelo número de argumentos que o candidato apresenta em defesa do seu ponto de vista. Na FCC, o ideal é que a redação tenha, no mínimo, 4 parágrafos e, no máximo, 6, para uma redação de 20 a 30 linhas. Para aprofundar a sua compreensão sobre o gênero dissertativo, sugiro que você leia o meu artigo Redação: 5 Passos para Fazer uma Excelente em Concursos Públicos e assista à aula a seguir sobre Dissertação.

b) Progressão textual e encadeamento das ideias

Entenda por progressão textual o seguinte raciocínio: a cada novo parágrafo, apresenta-se no texto um novo conjunto de ideias. Já, por continuidade, entenda: cada nova ideia depende do que já foi dito/escrito. Assim, tanto a progressão textual quanto a continuidade das ideias são princípios da coerência argumentativa, da coerência interna.

Quando você escreve um parágrafo, você sempre parte de um tópico frasal, de uma ideia central, que é ampliada e/ou justificada por ideias secundárias. Assim, se o seu texto apresentar quatro parágrafos, naturalmente deve apresentar quatro ideias centrais – uma em cada parágrafo, a saber: a tese na introdução (parágrafo 1), o argumento 1 (parágrafo 2) e o argumento 2 (parágrafo 3) no desenvolvimento e a observação final na conclusão (parágrafo 4). Em cada parágrafo, haverá, pois, um novo conjunto de ideias relacionadas às anteriores, promovendo a progressão e a continuidade das ideias, ao mesmo tempo.

c) Articulação de frases e parágrafos

A articulação de frases e parágrafos é, na verdade, a coesão textual. Assim, a banca vai avaliar o domínio dos mecanismos que o candidato é capaz de apresentar em seu texto para retomar ideias, antecipá-las, para encadeá-las, evidenciando ou estabelecendo relações de sentido entre elas.

Fundamentalmente, deve haver uma particular preocupação com o uso de pronomes pessoais de 3ª pessoa, pronomes demonstrativos, pronomes relativos; com o uso de sinônimos, hipônimos e hiperônimos; com o uso de figuras de construção, como a elipse e o zeugma; com o uso das preposições, conjunções e das palavras e expressões denotativas; com o uso de certos verbos, advérbios e numerais que são capazes de promover a conexão das partes que compõem o texto.

Fazem parte ainda da articulação outros mecanismos, como a concordância verbal e nominal, a regência verbal e nominal e a crase. Para ver uma demonstração de mecanismos de coesão, sugiro que você assista a esta aula sobre termos anafóricos e termos catafóricos no meu canal.

Orientações sobre a Expressão

Caro concurseiro, entenda aqui que expressão é o termo usado pela FCC para designar a competência linguística do candidato demonstrada na redação. Essa orientação determina que a banca avaliará, não de modo estanque ou mecânico, a expressão do candidato considerando a sua estreita correlação com o conteúdo e a estrutura. Além disso, considerará ainda dois outros aspectos: a) o desempenho linguístico; e b) o domínio da norma culta formal da Língua Portuguesa.

a) Desempenho linguístico

O desempenho linguístico será avaliado de acordo com o nível de conhecimento exigido para a Categoria/Área/Especialidade/Cargo/Emprego Público. Ademais, será avaliada a adequação do nível de linguagem adotado à produção proposta e coerência no uso.

Convém lembrar que o candidato estará em uma situação formal de comunicação. Portanto, a linguagem deve se adequar a essa situação comunicativa.

b) Domínio da norma culta formal

O domínio da norma culta formal da Língua Portuguesa será avaliado com atenção aos seguintes itens:

  • estrutura sintática de orações e períodos;
  • propriedade vocabular;
  • concordância verbal e nominal;
  • pontuação;
  • regência verbal e nominal;
  • emprego de pronomes;
  • flexão verbal e nominal;
  • uso de tempos e modos verbais;
  • grafia e acentuação.

Também vale observar que, na aferição do critério de correção gramatical, por ocasião da avaliação do desempenho na prova de redação, a banca FCC exige, como uma das características da sua redação, que os candidatos se valham das normas ortográficas em vigor, implementadas pelo Decreto Presidencial nº 6.583, de 29 de setembro de 2008, e alterado pelo Decreto nº 7.875, de 27 de dezembro de 2012, que estabeleceu o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Situações que levam à nota zero

Agora, a FCC dá as últimas orientações para que o candidato tenha um bom desempenho na prova de redação. São orientações para que o candidato não tenha a sua redação zerada. Estas situações são as seguintes:

  • fuga do tema e/ou da modalidade de texto solicitado;
  • não atender aos critérios dispostos nos itens relacionados a estrutura, conteúdo e expressão;
  • apresentação de texto sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e palavras soltas ou em verso) ou de qualquer fragmento de texto escrito fora do local apropriado;
  • assinatura fora do local apropriado;
  • apresentação de qualquer tipo de sinal ou marca identificadora;
  • apresentação de texto em branco; redação escrita com letra ilegível e/ou incompreensível;
  • e, por fim, mas não menos importante, o não atendimento aos requisitos definidos na grade correção/máscara de critérios pela banca examinadora.

Sobre os Temas das Provas

Para escrever este artigo como você, concurseiro, merece que ele seja escrito, analisei 15 provas de redação da Fundação Carlos Chagas realizadas entre os anos de 2016 e 2019. O que pude observar e constatar é que a FCC tem uma linha de provas de redação muito madura e muito bem estruturada que, se compreendida pelo candidato que vai fazer prova organizada por essa banca, a preparação se tornará mais efetiva. Daí o título deste artigo: características da redação da FCC!

Encontrei basicamente dois modelos de provas: um com o tema explicitado pela banca e outro com o tema implícito. O mais comum, todavia, é a apresentação de uma prova com o tema explícito. Também verifiquei que a banca oferece predominantemente nas provas de 1 a 3 textos motivadores, não mais que isso.

a) Provas com temas explícitos

Inicialmente, para ilustrar essas descobertas, meu nobre concurseiro, verifique como as provas pesquisadas foram estruturadas. Primeiramente, nas provas de Agente de Trânsito e Oficial Estadual de Trânsito de São Paulo, em 2019, a FCC apresentou em cada prova 2 textos motivadores, seguidos de temas explícitos: “Espaço urbano e qualidade de vida”, e “Educação para o trânsito – fortalecimento da cidadania”, respectivamente.

Na prova de Analista em Gestão Previdenciária do INSS de 2019, a FCC apresentou 2 textos motivadores, seguidos de um tema explícito: “A realização individual fomentaria maior igualdade social?”. Já a prova de Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRF 3ª Região, de 2019, a banca optou por apresentar apenas 1 texto motivador, seguido de um tema explícito: “Isolamento social na era da comunicação virtual”.

Por fim, em 2016, no concurso para Professor Adjunto II – Artes – da Prefeitura de Campinas – SP, a FCC apresentou apenas 1 texto motivador, seguido de tema explícito: “Democratização do acesso ao patrimônio cultural na contemporaneidade”.

Observe que, neste conjunto de provas até aqui apresentado, as temáticas estão ligadas a aspectos da atualidade, mesmo que haja pontos relacionados à especificidade dos respectivos concursos. Qualquer pessoa dona de um repertório cultural razoavelmente desenvolvido seria capaz de discorrer sobre os temas apresentados, salvo o tema da prova do INSS, que, pela natureza filosófica e sociológica, exige uma formação intelectual mais apurada.

b) Provas com temas implícitos

Em 2018, a FCC apresentou, no concurso para Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 15ª Região, uma prova de redação que corrobora a sua fama de banca complexa:

“A conhecida frase ‘A liberdade de cada um termina onde começa a liberdade do outro’ é entendida, por uns, como uma necessária restrição, e, por outros, como uma necessária garantia. Considere essa dupla interpretação e manifeste seu ponto de vista diante dela em um texto dissertativo-argumentativo.”

Nesse caso, não há um tema explícito. Cabe ao candidato perceber a temática na leitura que tem da proposta. E aí mora um perigo: caso a interpretação se dê equivocadamente, por mais que a redação seja bem construída, ela fugirá do que a banca espera.

No mesmo ano, no concurso para Técnico Judiciário – Área Administrativa – Especialidade Segurança – TRT 2ª Região, a FCC apresentou uma prova com 3 textos motivadores, seguidos da seguinte proposição:

“Com base nas ideias contidas em I, II e III, desenvolva um texto dissertativo-argumentativo, justificando seu ponto de vista.”

Dessa forma, é nítido que, a habilidade de leitura, compreensão e reconhecimento de ideias centrais e secundárias fará muita diferença na qualidade da interpretação que o candidato realizará para fazer esta redação.

Essa mesma caraterística ocorreu nas provas de Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRT 15ª – 2018, Analista – Área Administração – DPE/RS – 2017, Analista Judiciário – Área Administrativa e Técnico Judiciário – TST – 2017, Analista Judiciário e Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRE/SP – 2017, Técnico Judiciário – Área Administrativa – TRE/PR – 2017, e Analista Tecnológico – Analista De Negócios – Pref. Teresina/PI – 2016.

Todas as provas consultadas estão disponíveis no site PCI Concursos e dão de domínio público.

Considerações finais sobre as características da redação da FCC

Por fim, depois dessa leitura, você que vai fazer prova da FCC e tem redação, está de posse de informações muito preciosas, que vão ajudar consideravelmente no desenvolvimento de uma preparação adequada e bem direcionada, com foco e, sobretudo, de acordo com as características da redação da FCC. Por tudo isso, tenha uma boa leitura, compartilhe esse artigo e imprima para ler quantas vezes achar necessário.

 

Um forte abraço!

Professor Adeildo Júnior

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *